Imprimir esta página
segunda, 29 janeiro 2018 13:12

“O tempo é de cerrar fileiras” em defesa das políticas de Coesão e Agrícola Comum, defende Vasco Cordeiro

“O tempo é de cerrar fileiras” em defesa das políticas de Coesão e Agrícola Comum, defende Vasco Cordeiro Gacs

O Presidente do Governo dos Açores defendeu, em Bruxelas, a urgência de se “cerrar fileiras” na defesa da Política de Coesão e da Política Agrícola Comum para o período após 2020, tendo em conta o cenário de redução de financiamento comunitário devido à saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit).

 

“Temos, neste momento, um cenário em que a União Europeia perderá recursos com o 'Brexit' e, simultaneamente, quer aumentar a despesa para novas políticas em áreas como as migrações e o sistema europeu de defesa”, salientou Vasco Cordeiro, que hoje se reuniu com o negociador-chefe da Comissão Europeia para a preparação e condução das negociações com o Reino Unido sobre o 'Brexit', Michel Barnier.

 

Em declarações aos jornalistas no final do encontro, o Presidente do Governo preconizou que, pela sua dimensão, esta não é uma preocupação que diga apenas respeito aos Açores, sendo este o “tempo de, claramente, cerrar fileiras em defesa destas duas políticas”.

 

 

“Em 2016, cerca de 90 por cento dos fundos que Portugal recebeu foram legitimados pela Política de Coesão e pela Política Agrícola Comum. Se quisermos ter um quadro mais impressivo desta realidade, se virmos o Acordo de Parceria para 2014-2020, constatámos que cerca de 99 por cento dos fundos destinados ao nosso país têm a ver” com estes dois instrumentos de financiamento comunitário, frisou.

 

“Estes dados dão bem nota da urgência e da importância desta questão”, alertou Vasco Cordeiro, ao salientar que “todas as diligências que possam ser feitas nesta matéria são muito bem-vindas”.

 

Nesta reunião, Vasco Cordeiro, que também preside à Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), alertou, por outro lado, para a necessidade da UE manter os mecanismos de cooperação com as regiões que fazem parte do Reino Unido após a concretização do 'Brexit'.

 

“Michel Barnier é profundo conhecedor da política regional e está sensibilizado para estas questões”, considerou Vasco Cordeiro, acrescentando que encontrou uma “grande lucidez e uma grande consciência em relação a estas matérias” que envolvem as regiões europeias no período após 2020.

 

O Presidente do Governo dos Açores assume, desde setembro de 2014, a Presidência da CRPM, organização de cooperação inter-regional que integra cerca de 160 regiões de 28 estados europeus, agregando cerca de 200 milhões de cidadãos.

 

Esta organização tem por missão a defesa dos interesses dos seus membros junto de instituições nacionais e europeias, através da promoção da coesão económica, social e territorial e do poder regional na Europa, bem como do reforço da dimensão periférica e marítima da Europa.

Informação Adicional

  • Fonte: Gacs

Itens relacionados